Guerra Fria

Introdução

A Guerra Fria tem início logo após a Segunda Guerra Mundial, pois os Estados Unidos e a União Soviética vão disputar a hegemonia política, econômica e militar no mundo.

A Segunda Guerra Mundial

Introdução : As causas da Segunda Guerra Mundial

Um conflito desta magnitude não começa sem importantes causas ou motivos. Podemos dizer que vários fatores influenciaram o início deste conflito que se iniciou na Europa e, rapidamente, espalhou-se pela África e Ásia.

Totalitarismo

Definição
Totalitarismo é um sistema de governo em que todos os poderes ficam concentrados nas mãos do governante. Desta forma, no regime totalitário não há espaço para a prática da democracia, nem mesmo a garantia aos direitos individuais.

História da Crise de 1929

Durante a Primeira Guerra Mundial, a economia norte-americana estava em pleno desenvolvimento. As indústrias dos EUA produziam e exportavam em grandes quantidades, principalmente, para os países europeus.

A Revolução Russa

Introdução

No começo do século XX, a Rússia era um país de economia atrasada e dependente da agricultura, pois 80% de sua economia estava concentrada no campo (produção de gêneros agrícolas).

A Primeira Guerra Mundial

Antecedentes
Vários problemas atingiam as principais nações européias no início do século XX. O século anterior havia deixado feridas difíceis de curar. Alguns países estavam extremamente descontentes com a partilha da Ásia e da África, ocorrida no final do século XIX.

Industrialização e Imperialismo

No final do século XIX, o capitalismo ganhou força com o crescimento da industrialização, o crescimento foi alcançado com base na acumulação de capital gerado e adquirido nos primeiros anos de industrialização.

Os Estados Unidos no Século XIX

Introdução

A primeira metade do século XIX na História dos EUA foi marcada pela conquista de territórios em direção ao Oceano Pacífico, conhecida como "a marcha para o Oeste". A população passou de 3.900.000 em 1790 para 7.200.000 em 1810, compondo uma sociedade essencialmente agrária, formada por granjas no Nordeste e grandes latifúndios exportadores no Sudeste.

Unificações Européias

Unificações de Alemanha e Itália
A UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA:

O Congresso de Viena (1814-1815) dividiu a Itália em sete Estados:


A independência da América Latina

Independência da América Latina (1808-1826)

Foi o processo político e militar que afetou todas as regiões situadas entre os vice-reinados da Nova Espanha e do Rio da Prata, cujo resultado foi o nascimento dos modernos estados independentes da América Latina.

A era Napoleônica

Napoleão Bonaparte
Napoleão Bonaparte nasceu em Ajaccio, Córsega em 1769. Foi tenente da artilharia do exército francês aos 19 anos e general aos 27 anos, saindo vitorioso em várias batalhas na Itália e na Áustria.
Foi um dos chamados "monarcas iluminados", que aderiram ao movimento filosófico chamado Iluminismo.

A Revolução Francesa

Contexto Histórico: A França no século XVIII

A situação da França no século XVIII era de extrema injustiça social na época do Antigo Regime. O Terceiro Estado era formado pelos trabalhadores urbanos, camponeses e a pequena burguesia comercial. Os impostos eram pagos somente por este segmento social com o objetivo de manter os luxos da nobreza.

A Independência dos Estados Unidos

No século XVIII, observamos o processo de crise das monarquias absolutistas, sinalizando o fim de um período chamado pelos liberais de Antigo Regime. Combatendo os princípios religiosos, filosóficos e políticos que fundamentavam a definição de um poder centralizado e a manutenção de certas práticas feudais, as revoluções burguesas sinalizavam a criação de uma nova forma de poder estabelecido.

A Revolução Industrial

Introdução

A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias.

O Iluminismo

Introdução

Este movimento surgiu na França do século XVII e defendia o domínio da razão sobre a visão teocêntrica que dominava a Europa desde a Idade Média. Segundo os filósofos iluministas, esta forma de pensamento tinha o propósito de iluminar as trevas em que se encontrava a sociedade.

Revolução Inglesa do Século XVII

A Revolução Inglesa do século XVII representou a primeira manifestação de crise do sistema da época moderna, identificado com o absolutismo. O poder monárquico, severamente limitado, cedeu a maior parte de suas prerrogativas ao Parlamento e instaurou-se o regime parlamentarista que permanece até hoje.

Formação das Monarquias Nacionais: Absolutismo e Mercantilismo

Formação das Monarquias Nacionais
Burguesia (poder econômico)   Senhores Feudais (poder político)
Reis (enfraquecidos)  =  CENTRALIZAÇÃO POLÍTICA DAS MONARQUIAS NACIONAIS

A Reforma e Contra Reforma

Fatores que impulsionaram o movimento da Reforma

No início do século XVI, a mudança na mentalidade das sociedades européias repercutiu também no campo religioso. A Igreja, tão onipotente na Europa medieval, foi duramente criticada.
A instituição católica estava em descompasso com as transformações de seu tempo.

A conquista da América pelos Europeus

A conquista da América Quando falamos em conquista estamos falando em dominação, em poder do superior para o inferior, e é isto mesmo que aconteceu com os povos da América no século XV pelos europeus, ou seja, a Coroa Portuguesa e a Coroa Espanhola no sistema mercantilista onde a acumulação de capital seria pela balança favorável de riquezas pertencidas ao seu território.

A expansão marítimo-comercial Européia

A expansão marítima européia, processo histórico ocorrido entre os séculos XV e XVII, contribuiu para que a Europa superasse a crise dos séculos XIV e XV.

Através das Grandes Navegações há uma expansão das atividades comerciais, contribuindo para o processo de acumulação de capitais na Europa.

América Pré-Colombiana

Antes da chegada dos europeus ao continente americano, milhões de indivíduos já habitavam a América. Para se ter uma idéia, estima-se que havia cerca de 88 milhões de ameríndios vivendo no continente. Além disso, esses povos eram organizados em tribos ou até mesmo em sociedades relativamente complexas, como no caso dos astecas, incas e maias, os quais possuíam significativa organização social, política e econômica.

Técnicas para estudar História

1) Faça resumos inteligentes: quando estudar um determinado tema (Revolução Francesa, Feudalismo, Renascimento, etc), focalize sua atenção nas causas e conseqüências de cada evento histórico. Quem lucrou? Quem perdeu? Como foi o processo, quais foram as ocorrências historicamente relevantes e que podem ser exploradas no vestibular?

Renascimento

Introdução

Durante os séculos XV e XVI intensificou-se, na Europa, a produção artística e científica. Esse período ficou conhecido como Renascimento ou Renascença.

Contexto Histórico

Reinos Africanos

África AntigaA região da África Oriental, dos reinos da Núbia, Etiópia e posteriormente Burundi e Uganda, sofreram grande influência religiosa em seu processo de organização cultural e espacial. Conflitos religiosos entre mulçumanos e cristãos foram decisivos para a nova organização desses reinos, a exemplo do Antigo Egito, que teve que se consolidar como Estado mulçumano entre duas potências cristãs – Bizâncio e Dongola. 

Inquisição

Inquisição (é um termo que deriva do ato judicial de inquirir, o que se traduz e significa perguntar, averiguar, pesquisar, interrogar etc.) ou Tribunal da Inquisição ou Santa Inquisição (dentre outros nomes) foi um tribunal cristão utilizado para averiguar heresia, feitiçaria, bigamia, sodomia e apostasia.

Idade Média

Alta idade média (Séculos V ao X)

Características gerais;
Os povos bárbaros;
O feudalismo;
O Império Carolíngio ou
Reino Cristão dos Francos;
O Império
Bizantino:
O Império
Árabe

Feudalismo

Síntese dos Povos Bárbaros
 Povos fora das fronteiras (sem cultura greco-romana);
 Germânicos – principal grupo (suevos, lombardos, teutônicos, francos, godos, visigodos, ostrogodos, vândalos, burgúndios, anglos, saxões);
 Economia agropastoril;
 Ausência de comércio e moeda;

Civilização Árabe / Muçulmana / Islãmica / Sarracena

Civilização Árabe / Muçulmana / Islãmica / Sarracena
A civilização árabe ou islâmica surgiu no Oriente Médio, numa península desértica situada entre a Ásia e a África.
É área de aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados, com centenas de milhares recobertos por um enorme deserto, pontilhados por alguns oásis e por uma cadeia montanhosa, a oeste. 
Somente uma estreita faixa no litoral sul da península possui terras aproveitáveis para a agricultura.

Império Carolíngio

Império Carolíngio
O império Carolíngio ou Sacro Império Romano ou ainda Império dos Francos.
Era como se denominava o Império de Carlos Magno.
Ele teve papel importante na tentativa de converter os povos bárbaros ao catolicismo.
Com o fim do império Romano do Ocidente em 476, surgem pequenos reinos bárbaros, entre eles o Reino dos francos.
Com a morte de seu pai e de seu irmão, Carlos Magno assume o trono e inicia uma série de conquistas, ampliando as fronteiras de seu reino.

Império Bizantino ou Império Romano do Oriente

Estreito de Bósforo
Por estabelecer uma ligação natural entre dois continentes, Bósforo possui uma importância geopolítica sem igual.
Quando a região ao qual se encontra – a então gloriosa cidade de Constantinopla – foi tomada pelos Turcos-Otomanos em 1453, os europeus foram impedidos de se deslocarem até a Ásia Oriental em busca de matérias-primas, o que os forçou a investir nas navegações marítimas a fim de descobrirem novas rotas para a Índia.

Os Bárbaros

Principais “defeitos” dos bárbaros vistos pela ótica do povo romano
Costume de untar o cabelo com manteiga rançosa.
Não tomar banho.
Cheirar a alho e cebola.
Roupas rústicas feitas de peles de animais.

Imperadores Romanos

Julio-ClaudianosAugusto (27 a.C. - 14 d.C.)
Tibério (14 - 37)
Gaio Calígula (37 - 41)
Cláudio (41 - 54)
Nero (54 - 68)

Roma Antiga

Periodização político-histórica


•Monarquia (fundação – VI a. C)

•República (VI – I a. C)

•Império (I a. C – V d. C)

Esparta e Atenas

Esparta e Atenas
Esparta e Atenas, ao mesmo que foram as principais cidades gregas, formaram uma das maiores antíteses da Idade Antiga.
As duas cidades eram totalmente diferentes: a maneira de fazer política, a importância da guerra, das artes, da cultura, a mentalidade, etc.

Grécia Antiga

Introdução
A civilização grega surgiu entre os mares Egeu, Jônico e Mediterrâneo, por volta de 2000 a.C.
Formou-se após a migração de tribos nômades de origem indo-europeia, como, por exemplo, aqueus, jônios, eólios e dórios.
 As pólis (cidades-estado), forma que caracteriza a vida política dos gregos, surgiram por volta do século VIII a.C. 

As duas pólis mais importantes da Grécia foram: Esparta e Atenas.

Assíria

Assíria
A Assíria foi um reino que se formou na região montanhosa do alto Tigre, ao norte da Mesopotâmia, expandindo-se posteriormente por terras Oriente Próximo. 
 O nome também pode designar a região em que se desenvolveu a civilização assíria.
Lord Byron começa seu poema The Destruction of Sennacherib (A Destruição de Senaqueribe) com "The Assyrian came down like the wolf on the fold (Os assírios desceram como um lobo uma dobra, numa tradução livre).

Babilônia

Introdução 
Muitos historiadores afirmam que a Babilônia é um dos berços das civilizações, pois é uma das sociedades mais antigas que conhecemos.
Situada na região da Mesopotâmia (entre os rios Tigre e Eufrates) apresentou um grande desenvolvimento social, econômico, político e cultural.
Achados arqueológicos apontam para a existência da sociedade babilônica há mais de cinco mil anos.

Império Persa

Império Persa
Os persas, importante povo da antiguidade oriental, ocuparam a região da Pérsia (atual Irã).
Este povo dedicou-se muito ao comércio, fazendo desta atividade sua principal fonte econômica.
A política era toda dominada e feita pelo imperador, soberano absoluto que mandava em tudo e em todos.
O rei era considerado um deus, desta forma, o poder era de direito divino.

Fenícia

Economia
Os primeiros habitantes tentaram desenvolver a agricultura, junto com a pesca e a caça, mas não deu certo. 
Mas a posição geográfica da Fenícia era estratégica. pois localizava-se no cruzamentos das principais rotas comerciais entre o Ocidente e o Oriente.
Então, os Fenícios começaram a desenvolver o comércio.

Hebreus

OS HEBREUS:
Atual ISRAEL ou PALESTINA;
Agricultores e pastores (Rio Jordão);
Principal fonte de estudo: Bíblia (Antigo Testamento);

Egito Antigo

História do Egito Antigo
Religião, Economia, Sociedade, pirâmides, faraós, cultura e ciência dos egípcios, escrita hieroglífica, Rio Nilo, história da África, desenvolvimento científico, cultura e arte.
Introdução
A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo) entre 3200 a. C (unificação do norte e sul) a 32 a.C. (domínio romano).
Como a região é formada por um deserto (Saara), o rio Nilo ganhou uma extrema importância para os egípcios.

Pré-História na América

Primeiras migrações
Acredita-se que os primeiros migrantes humanos para a América foram nômades asiáticos que atravessaram a Beríngia ou Ponte Terrestre de Bering (onde hoje se encontra o estreito de Bering) para chegar à América do Norte.

Durante grande parte do século XX, os cientistas consideravam a cultura Clóvis como a primeira da América, com sítios datados de cerca de 13500 anos atrás. Mais recentemente, encontraram-se outros sítios arqueológicos que parecem indicar a presença humana na América por volta de 40000 a.C..

Pré - História

Na aula de hoje, vamos falar sobre a pré-história. Bom, a História começa quando o Homem tem o domínio da natureza:

Antropologia = Homem, humano, estudo

Evolução dos Hominídeos:
Australopithecus (Grácil:  ''Lucy" robusto; Hiper-Robusto)
Homo Habilis
Homo Erectus
Neandertal
Sapiens

Teorias Evolucionistas e Criacionistas

Bom, até hoje os cientistas não sabem falar de onde viemos e pra onde vamos, temos várias teorias como a evolução; defendida no principio pelo cientista francês Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829) e logo depois por Charles Robert Darwin (1809-1882). E a criação; que é defendida pelos religiosos.